Como instalar o Android no PC

Mesmo com as diversas opções de execução ou espelhamento do Android no PC Windows ou no Mac OS, uma instalação limpa do sistema com programas como o VirtualBox  é sempre mais simples e prática. 
Como usar o BlueStacks para baixar apps Android no PC Windows e no Mac

---------------------------------------------------------------------
---------------------------------------------------------------------
Fazendo desse jeito você pode até mesmo usar o hardware do PC, dentro do Android (Bluetooth, USB e outros). Veja como usar a máquina virtual para ter o sistema operacional móvel no seu computador. No passo a passo abaixo, aprenda como instalar o Android no PC; tutorial definitivo.
Aprenda instalar o Android no PC usando o VirtualBox (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Tutorial definitivo
O tutorial a seguir usa a imagem ISO do Android disponibilizada pelo projeto Android X86 (android-x86.org), especificamente o android-x86-4.4-r1.iso, já que a versão mais recente (android-x86-4.4-r2.iso) apresentou problemas nos testes. Antes de começar, veja como criar no VirtualBox a máquina virtual onde será instalado o Android.
Criando a máquina virtual do Android
Passo 1. Se você ainda não tem, baixe o VirtualBox. Em seguida, instale e execute o aplicativo. 
Passo 2. Com o VirtualBox aberto, clique no botão “Novo”;

Clicando no botão "Novo" do Virtualbox (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)

Passo 3. Na janela que aparece, digite um nome para a máquina virtual e coloque o sistema operacional como “Linux” e a versão como “Other Linux (32bit)”. Depois, clique no botão “Próximo”;

Dando um nome a máquina virtual (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Passo 4. Na próxima tela, coloque 1024 MB de memória RAM (ou mais, se preferir e puder) para o SO. Para prosseguir, clique no botão “Próximo”;
Definindo a quantidade de memória ser usada (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Passo 5. Na tela de criação de disco, marque a opção “Criar um disco virtual agora” e siga as instruções do assistente de criação. O tamanho mínimo recomendado de um disco para o Android é 4 GB.

Iniciando a criação de um disco virtual (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)

Baixando a imagem ISO e adicionando na máquina virtual
Passo 1. Faça o download da imagem ISO do Android e salve em uma pasta de sua preferência;
Passo 2. No Virtualbox, clique sobre o nome da máquina virtual criada e depois no botão “Configurações”;

Acessando as configurações da máquina virtual (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Passo 3. Na janela “Configurações”, clique na opção “Armazenamento”, e depois, no item “Vazio”, que fica abaixo de “Controladora: IDE” no quadro do meio. Então, clique na seta ao lado do ícone do CD e no menu que aparecer, escolha o item “Selecione um arquivo de CD/DVD virtual…”;
Adicionando uma imagem ISO na máquina virtual (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Passo 4. Na janela que será exibida, informe onde está a imagem ISO baixada e, depois, clique no botão “Abrir”. Ao voltar para a tela de “Configurações”, clique no botão “OK” para confirmar as alterações;

Selecionando a imagem ISO a ser usada (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
---------------------------------------------------------------------

---------------------------------------------------------------------

Instalando o Android no Virtualbox
Passo 1. No VirtualBox, clique na máquina virtual e no botão “Iniciar”;
Iniciando a máquina virtual (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)

Passo 2. Na tela que aparece, escolha a opção “Installation – Install Android-x86 to harddisk”;

Iniciando a instalação do Android (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Passo 3. Na tela seguinte, selecione “Create/Modify partitions” (Criar/Modificar partições) e tecle enter;


Selecionando a opção "Create/Modify partitions" (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Passo 4. Use a seta para a direita para navegar para até a opção “New” e pressione Enter;
Criando uma nova partição (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Passo 5. A seguir, selecione “Primary” e tecle enter;
Selecionando o tipo de partição (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Passo 6. Com a partição criada, posicione o cursos em “Bootable” e pressione enter;
Tornando a partição inicializável (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)

Passo 7. Por fim, vá até a opção “Write” e tecle enter;
Selecionando a opção de gravação das alterações (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Passo 8. Depois disso, aparecerá uma pergunta na tela. Digite “yes” e pressione enter;
Confirmando a gravação das alterações (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)

Passo 9. Voltar para a tela principal, selecione a partição que você acabou de criar e clique em OK.
Selecionando a partição (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Passo 10. Na tela a seguir, selecione a opção “ext3″ e confirme;
Selecionando o formato da partição (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Passo 11. Aparecerá uma tela pedindo a confirmação da formatação, para fazer isso, vá em “Yes” e tecle enter;


Confirmando a formatação da partição (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Passo 12. Quando aparecer uma pergunta sobre o GRUB, confirme selecionando “Yes” e teclando enter;
Confirmando a instalação do GRUB (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Passo 13. Depois, selecione “Yes” para instalar o diretório system como leitura e gravação;
Colocando diretório do sistema como leitura e gravação (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Passo 14. Na última tela, vá na opção “Reboot” para reiniciar a máquina virtual e iniciar usando o Android (não esqueça de remover a imagem ISO).
Reiniciando o sistema para iniciar o Android (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)
Pronto! O Android já está instalado e iniciará pedindo para ser configurado com a sua conta Google. Siga as instruções, responda corretamente e em pouco tempo você estará usando o Android em seu PC como se fosse em um tablet. Se você tiver dificuldade para usar o mouse, clique com o botão direito no ícone dele que fica no rodapé da janela da máquina virtual e marque a opção “Desabilitar Integração de Mouse”;

---------------------------------------------------------------------

---------------------------------------------------------------------

Como fazer backup dos drivers do computador com o Recoveryfix Device Driver Backup

Faça backup de todos os drivers instalados em seu computador


Com o Recoveryfix Device Driver Backup você tem uma ferramenta simples e prática para fazer backup dos mais diversos drivers de dispositivos. Assim, você pode garantir que eles estejam a apenas um clique de você sem a necessidade de ficar buscando drivers sempre que precisar.
Os drivers são essenciais para o funcionamento do sistema: eles ajudam na comunicação entre a máquina e seus componentes. Caso haja algum problema no funcionamento dos drivers, seu computador pode ficar sem internet ou seu mouse não ser reconhecido, por exemplo.
Se isso acontecer, você vai precisar reinstalar os drivers, mas quem já precisou fazer isso sabe o transtorno que pode ser procurar um drive de placa de rede na web, por exemplo. Uma forma de garantir que você tenha esses drivers sempre em mãos é manter um backup de todos eles em sua máquina.
Com o Recoveryfix Device Driver Backup, você não precisa ser um expert para isso. Baixe e instale o programa e, em seguida, clique no botão Backup Drivers. Com isso, uma nova janela aparece para que você selecione os drivers dos quais você deseja manter cópias de segurança.
Se preferir, você pode simplesmente selecionar todas as opções, no entanto, o processo pode demorar um pouco. Ao confirmar o backup, selecione o local em que você deseja salvar os arquivos. Escolha um destino que seja fácil de encontrar, pois em caso de problemas, você vai precisar restaurar os arquivos.
Aguarde o final do backup e pronto! Agora, caso algum drive apresente problemas, você só precisa abrir novamente o Recoveryfix Device Driver Backup e selecionar a opção Restore Drivers, escolhendo o arquivo salvo para recuperação.
Lembre-se de fazer cópias regularmente, de preferência sempre que você utilizar um novo acessório ou conectar algum gadget diferente na máquina. Assim, você mantém a biblioteca de backups sempre atualizada e evita surpresas desagradáveis.

Click no botão abaixo para baixar o Recoveryfix
 Click aqui para baixar



Como restaurar as configurações originais do Windows 8


Nos passos abaixo, vamos mostrar como formatar o Windows 8 com apenas alguns cliques. O Windows 8 incluiu uma nova forma de manter o sistema rápido e estável sem a necessidade de passar pelo processo demorado e trabalhoso da formatação ou reinstalação.
Passo 1. Acesse a "Start Screen" apertando a tecla Windows, presente entre o Ctrl e o Alt. Posicione o cursor do mouse no canto inferior direito da tela para abrir a "Charm Bar" do Windows 8;
Passo 2. Clique no ícone "Settings" e depois em "More PC Settings". O painel de controle imersivo do Windows 8 será exibido na tela;
Clique em More PC Settings para abrir o painel de controle Metro (Foto: Reprodução/Paulo Higa)Clique em More PC Settings para abrir o painel de controle Metro (Foto: Reprodução/Paulo Higa)
Passo 3. Acesse o menu "General". Nessa tela serão exibidas duas formas de restaurar as configurações originais do Windows: "Refresh" e "Reset";
Passo 4. Caso queira deletar todos os seus arquivos e ter um sistema novo, utilize a opção "Reset your PC and start over", que funciona de maneira semelhante ao processo de formatação/reinstalação em Windows anteriores;
Com apenas alguns cliques é possível voltar às configurações de fábrica do Windows 8 (Foto: Reprodução/Paulo Higa)Com apenas alguns cliques é possível voltar às configurações de fábrica do Windows 8 (Foto: Reprodução/Paulo Higa)
Passo 5. Caso queira apenas restaurar as configurações de fábrica do Windows 8 mas manter arquivos pessoais, como músicas fotos e vídeos, utilize a opção "Refresh your PC without affecting your files";
Passo 6. Confirme a operação clicando em Next. Caso o sistema informe que alguns arquivos estão faltando, insira o DVD de instalação do Windows 8 no drive e avance. O sistema será reiniciado e estará pronto para ser usado novamente.
-

Revo Uninstaller

Livre-se de vez dos programas indesejados e deixe seu PC mais limpo após as desinstalações


Nem todos os programas instalados no computador são úteis o tempo todo. Muitas vezes, um aplicativo é utilizado pelo usuário para uma necessidade específica e, após isso, transforma-se em peso morto, ocupando espaço no HD e deixando entradas desnecessárias no registro do Windows.
 O próprio sistema operacional possui uma ferramenta para desinstalar aplicativos, que pode ser acessada por meio do Painel de Controle. Esta função, porém, funciona apenas como um atalho ao desinstalador de cada um dos programas. Caso o software não possua um ou não seja capaz de remover os arquivos completamente, sua máquina ficará cheia de rastros indesejáveis, sinônimo de problemas e desperdício de espaço.


Limpeza completa

Antes de mais nada, não confunda. O ícone-padrão do Revo Uninstaller realmente se parece com a imagem de um desinstalador, mas clicar sobre ele não vai iniciar esse tipo de processo, e sim ativar o programa.
Sem enrolação, o Revo Uninstaller exibe, logo na primeira tela, a lista de todos os aplicativos instalados no computador em forma de ícones. Para iniciar o processo de remoção, basta clicar duas vezes sobre qualquer um deles para exibir as opções de desinstalação, todas em português e com uma descrição precisa dos passos que serão realizados.

No modo “Moderado”, o processo ocorre em etapas. Na primeira, o desinstalador-padrão do aplicativo selecionado é executado. A seguir, o Revo Uninstaller faz uma varredura no sistema, buscando por arquivos e entradas deixadas no registro, e apresenta os resultados para o usuário, que decide por excluir ou não os dados encontrados.
Desta forma, além de evitar problemas com arquivos importantes sendo apagados automaticamente, o aplicativo permite que alguns dados sejam armazenados caso o usuário deseje. A opção é útil, por exemplo, no caso de saves de jogos, que podem ser armazenados mesmo após a desinstalação do game.

O ideal, caso o usuário não saiba se deve apagar as entradas do registro localizadas pelo aplicativo, é deixá-las lá. Se ainda assim decidir por apagá-las, o Revo Uninstaller cria um ponto de restauração do sistema, de forma que o computador pode ser retornado ao estado anterior caso o processo cause danos à máquina.

Cace seus programas

Para auxiliar os usuários leigos, o Revo Uninstaller possui uma opção de “Caça”, que habilita uma espécie de alvo que, quando colocado sobre qualquer aplicativo, dá acesso a uma série de opções além da desinstalação. O atalho também pode impedir que certos programas sejam iniciados com o Windows ou forçar o encerramento deles caso estejam causando problemas ao sistema.

Canivete suiço

Apesar de ser basicamente um desinstalador, como o nome já diz, o Revo Uninstaller possui também uma série de opções adicionais para limpeza e manutenção preventiva do PC. Na função “Limpador de Rastros”, é possível:
  • Apagar os históricos e arquivos temporários dos browsers de internet, aplicativos do Microsoft Office ou do próprio Windows;
  • Deletar permanentemente os arquivos que não foram sobrescritos no disco rígido;
  • Apagar de forma completa os arquivos que ainda estão presentes no HD, sem necessidade de colocá-los na lixeira.
Baixe o aplicativo
-

Turbine seu computador com o ReadyBoost

Uma ferramenta simples e funcional para acelerar o desempenho do sistema




O ReadyBoost do Windows é uma das maneiras mais simples e baratas de melhorar o desempenho da máquina. Tudo o que você precisa é de um flash drive (USB, SD, Compact Flash ou qualquer outro) para ser usado como complemento da memória RAM disponível. 

---------------------------------------------------------------------
---------------------------------------------------------------------
O ReadyBoost funciona utilizando o dispositivo móvel (pen drive, flash ou cartão SD) para aumentar o tamanho do cache do Windows (uma memória intermediária que armazena arquivos de forma inteligente, deixando-os prontos para utilização na hora oportuna). Outra utilidade é que os arquivos podem ser recuperados mais rapidamente, já que o Flash Drive, em geral, é lido com mais rapidez que o disco rígido. Além disso, o ReadyBoost liberará a quantidade de memória RAM que era antes usada para essas tarefas. Dependendo de sua configuração do sistema, o ganho de desempenho pode ser surpreendente.

O dispositivo ideal
Atualmente, encontramos no mercado uma grande variedade de flash drives, com diferentes capacidades, o que pode gerar uma dúvida comum: qual é o melhor flash drive para o meu sistema? O primeiro passo para sabermos é definir qual o tamanho que cabe em seu bolso e o quanto você deseja de capacidade.
O ReadyBoost funciona com a maioria dos dispositivos de armazenamento flash, inclusive drives compatíveis com USB 3.0. No Windows 7, ele pode tratar mais memória flash e até mesmo vários dispositivos - até oito, chegando a obter um máximo de 256 GB (gigabytes) de memória adicional.
Quando você configura um dispositivo para funcionar com o ReadyBoost, o Windows mostra quanto espaço é recomendável permitir para uso para obter o desempenho ideal. Para que o ReadyBoost acelere efetivamente o computador, a unidade flash ou cartão de memória deve ter pelo menos 1 gigabyte (GB) de espaço disponível. Se o seu dispositivo não tiver espaço disponível suficiente para o ReadyBoost, você verá uma mensagem pedindo para liberar espaço na unidade caso queira usá-la para acelerar o sistema.
Mão na Massa
Para ativar ou desativar o recurso do Readyboost, siga os passos:

1. Plugue uma unidade flash ou cartão de memória flash ao computador.

2. Na caixa de diálogo "Reprodução Automática", em "Opções gerais", clique em "Acelerar meu sistema".

3. Na caixa de diálogo "Propriedades", clique na guia "ReadyBoost" e siga um dos procedimentos abaixo:



- Para desligar o ReadyBoost, clique em Não usar este dispositivo.
- Para usar o máximo de espaço disponível na unidade flash ou cartão de memória para o
ReadyBoost, clique em Dedicar este dispositivo ao ReadyBoost. O Windows irá manter todos os arquivos já armazenados no dispositivo, mas irá usar o restante do espaço para aumentar a velocidade do sistema.

- Para não usar todo o espaço disponível no dispositivo para o ReadyBoost, clique em Usar este dispositivo e mova o controle deslizante para escolher a quantidade de espaço disponível no dispositivo que você deseja usar.

4. Clique em OK.

-----------------------------------------------------------------------------------
DICA: Ganhe Dinheiro Com O Site Imagem Folheados
-----------------------------------------------------------------------------------
E se meu Flash Drive falhar no teste?

O sistema tentará executar o ReadyBoost e caso não seja possível, você receberá um aviso.
Caso esteja curioso para saber por que o ReadyBoost falhou, existe uma forma de descobrir pelo "Visualizador de Eventos". Veja como fazer isso:
1. Execute o "Visualizador de Eventos" digitando "eventvwr.msc" na busca do menu Iniciar ou no Prompt de Comando.

2. Acesse a guia "Aplicações" e depois "Histórico". O próximo passo é abrir a seguinte pasta "Microsoft > Windows > ReadyBoost > Operational". No painel central você verá os eventos relacionados com o ReadyBoost, incluindo informações sobre o problema com o flash drive usado.

Dicas

Caso você tenha dois dispositivos que possam ser usados para o ReadyBoost, use o "Visualizador de Eventos" (como fizemos anteriormente) para ajudá-lo a escolher o flash drive mais rápido e apropriado para utilização. Primeiro, conecte-os cada um de uma vez e instale-os para serem utilizados com o ReadyBoost. Em seguida, execute o "Visualizador de Eventos" e compare os dois desempenhos para descobrir qual é o melhor.
O Visualizador de Eventos pode ser usado também para obter uma visão dos bastidores do que acontece no seu sistema Windows e checar se ele está usando a memória RAM disponível da melhor forma possível. Percorra todos os eventos relacionados ao ReadyBoost e perceba que há uma variedade de ações relacionadas ao Windows - como desfragmentação, por exemplo. São opções que visam a melhorar o desempenho do sistema. 
----------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------
Indo além: Forçando o Windows usar qualquer unidade para o ReadyBoost

Não se preocupe se seu flash drive foi recusado pelo sistema, aqui você verá como forçá-lo a aceitar o dispositivo. Caso queira testar o uso do drive recusado para o ReadyBoost, há uma outra maneira: você pode forçar o Windows a utilizá-lo. Tenha em mente que isso pode não funcionar para o aumento do desempenho da máquina (podendo, inclusive, causar o efeito contrário); de qualquer forma você pode testar e depois comparar se houve realmente algum aumento significativo.
Após testar o dispositivo e ele ser recusado, retire-o da USB e reconecte-o logo em seguida. Se o AutoPlay estiver ativado ele abrirá uma janela perguntando o que você deseja fazer. Selecione "Abrir a Pasta" para visualizar os arquivos. No Windows Explorer, clique com o botão direito sobre a unidade, selecione "Propriedades > ReadyBoost" e desmarque a opção "Parar o reteste deste dispositivo quando ligado". Clique em OK e desconecte a unidade.
Inicie o Editor de Registro do sistema (digite "regedit" na caixa de busca do menu Iniciar ou através do Prompt de Comando) e siga o caminho "KEY_LOCAL_MACHINE\SOFTWARE\Microsoft\Windows NT\CurrentVersion\EMDMgmt". Você verá uma lista de dispositivos que foram conectados ao seu computador. Procure pela especificação da unidade que acabamos de ligar e repare que há uma série de valores atribuídos a ele. Mude o valor de "DeviceStatus" para 2 e em seguida edite os valores de "ReadSpeedKBs" e "WriteSpeedKBs" para 1000 cada. Saia do Registro.
Conecte novamente a unidade ao seu PC; na tela de reprodução automática, escolha a opção "Acelerar meu Sistema". Como você perceberá, o Windows não vai recusar o dispositivo dessa vez. Clique em "Usar este dispositivo", faça as configurações de tamanho de espaço destinado ao aceleramento e clique em OK. O ReadyBoost estará em ação.
Só lembrando que essa dica pode não resultar em nenhum avanço no desempenho do seu sistema, pois você só está forçando-o a aceitar o seu dispositivo. Considerando que este é um procedimento simples de ser executado, vale a pena tentá-lo para ver a quantidade de melhorias possíveis com um dispositivo em mãos.

-

Receptores de sinais e a TV por assinatura grátis


Os receptores de TV via satélite, chamados de FTA (free to air), são receptores de antena parabólica e foram desenvolvidos para levar o sinal de TV aberta e satélite de alta qualidade para locais onde o sinal enviado pelas antenas terrestres de TV convencional não atingisse uma boa performance.


Como funcionam os receptores das TVs por assinatura

Diferentemente dos receptores convencionais das parabólicas, que capturam apenas sinais enviados pela banda C (sinal analógico), os receptores FTA capturam o sistema de transmissão digital, a banda KU (a mesma banda de transmissão das TVs por assinatura).

Como funciona a parabólica:

  1. A emissora de TV por assinatura transmite o sinal de todos os canais para todos os assinantes.
  2. O aparelho recebe o sinal através do satélite, cabo ou antena (MMDS).
  3. A transmissão da operadora vem com algumas chaves criptografadas, que servem para identificar o pacote contratado pelo assinante.
  4. Um cartão instalado dentro do decodificador possui códigos que vão permitir o desbloqueio apenas dos canais adquiridos pelo assinante.
  5. Após validar as informações com a operadora, o dispositivo libera o conteúdo do pacote.

Como funciona o FTA:

Os aparelhos do tipo FTA funcionam de forma parecida, porém, com algumas modificações bem relevantes.
  1. Após a instalação do aparelho e da parabólica, o sinal chega até a residência do usuário normalmente.
  2. O FTA verifica o tipo de transmissão que está chegando pelo cabo RF.
  3. Nesta etapa, o dispositivo utiliza dois  códigos para que seja possível interpretar as chaves secretas da TV por assinatura. O primeiro serve para sintonizar os canais e o segundo para destravá-los.
  4. Se os códigos do produto estiverem desatualizados, então o decodificador vai apresentar mensagens como “Canal codificado” ou “Sem sinal”. Do contrário, tudo vai funcionar normalmente.
  5. Diferente dos aparelhos homologados, os aparelhos FTA não precisam realizar autenticação com a operadora, o que facilita o desbloqueio dos canais.

Recursos

Além da recepção digital, os aparelhos encontrados no mercado, são capazes de serem programados para gravar seu programa favorito em uma memória interna, pois alguns modelos acompanham um disco rígido. Os aparelhos podem obter interatividade com programas que disponibilizam essa tecnologia, bloqueio de canais, possuindo ainda entradas USB e saídas de áudio para Home Theater e de vídeo HDMI.

Produtos – Os melhores do mercado

Abaixo uma lista de alguns receptores existentes no mercado, que foram considerados os melhores para 2015
  • Freesky,
  • Tocomsat,
  • Cinebox,
  • Duosat,
  • Az América,
  • Megabox,
  • Globalsat,
  • Superbox,
  • Neonsat,
  • EvolutionBox,

Destacamos dois modelos:

RECEPTOR FREESKY THE ROCK IKS, SKS, GPRS, TV CABO, IPTV, WIFI, 3G



É um receptor mais completo do mercado com excelente qualidade de imagem e som. Multi Linguagem  OSD (Português, Inglês, Espanhol). Possui USB 2.0 disponível para reprodução de mídia, atualização  de firmware, PVR e time shift e acesso interativo ao youtube, Google Map, Google Tv Remote e Wi-Fi  Externo.


RECEPTOR TOCOMSAT DUO HD


Funciona com 2 antenas e 1antena mais internet. Possui entrada HDMI, media player, intelsat, com recepção DVB-S2 HD,   DVB-S e DVB-S2.



Legal ou ilegal?

De acordo com a lei, a interceptação de sinal de TV a cabo é crime, porém, não existia lei que impedisse a captura de sinal através de satélite, mas isso mudou. A Justiça Federal declarou como proibida a importação e venda de aparelhos receptores que possibilitavam “piratear” o sinal das transmissoras de TV por assinatura.
Toda e qualquer publicidade relacionada a este tipo de dispositivo também está vetada. A decisão foi tomada em dezembro de 2011 pelo juiz Marcelo Mesquita Saraiva, da 15ª Vara, em São Paulo.
A medida foi estabelecida tendo como base o fato de que esses aparelhos estavam em desacordo com a Lei Geral das Telecomunicações. Esse tipo de dispositivo permitia que o usuário fosse capaz de captar o pacote completo de canais de uma empresa de TV a cabo, mesmo que não houvesse contratado o serviço.
Apesar da proibição, muitos aparelhos são comercializados em locais alternativos como na Uruguaiana, no Rio de Janeiro e na Santa Ifigênia, em São Paulo, e em serviços como o Mercado Livre, variando de R$ 100,00 a R$ 1.000,00.
Cuidado para não ser enganado e comprar algum produto ilegal.

-

Salário Maternidade 2016


O salário maternidade é um benefício antigo, instituído pela Receita federal, a qual tem direito de receber as trabalhadoras empregadas, empregadas domésticas, mulheres que contribuem pela guia do INSS, no caso dessa segurada dar à luz a uma criança, ou efetuar a adoção de menor, ou ainda receber a guarda de uma criança mediante a ordem judicial. O valor do salário maternidade 2016 é o mesmo valor do salário que ela recebe no emprego que trabalha, e caso trabalhe em mais de um serviço, tem ainda direito a receber mais de um salário maternidade.



Quem tem direito ao auxílio maternidade

Esse benefício pode ser solicitado a partir já do oitavo mês de gestação, desde que haja um comprovante ou atestado médico comprovando o estado de gravidez e o tempo de gestação da criança. O benefício também pode ser solicitado a partir do nascimento da criança, nesse caso, pode ser apresentada a certidão de nascimento do infante como documento de comprovação, ou ainda no caso de adoção ou de guarda judicial, pode ser solicitado a partir do deferimento da guarda da criança, usando como documento de comprovação a certidão de nascimento do adotado lavrada com o deferimento da guarda infantil.


Auxílio Maternidade mãe desempregada

O auxílio maternidade também pode ser solicitado por mães que esteja desempregada, ao contrário do que muita gente pensa. Existem dois casos possíveis, com diferentes desdobramentos, para mães desempregadas, que tenham direito a receber o benefício:
  • Se a mamãe saiu da empresa grávida – Terá direito de receber o auxílio maternidade da Previdência Social nos casos em que foi demitida por justa causa ou que tenha pedido demissão do emprego. Caso tenha sido demitida sem justa causa, é a empresa quem tem a obrigação de pagar o salário maternidade para a mãe;
  • Se não estava grávida quando abandonou a empresa, terá direito ao benefício pago pela previdência social. Será necessário, entretanto, ter trabalhado por pelo menos 1 dia com carteira assinada entre a data de nascimento da criança e 14 meses e 15 dias antes da data de nascimento para ter direito de receber o salário maternidade. Se entretanto, a mão tiver recebido seguro desemprego, esse prezo de 14 meses e meio sobe para 26 meses.

Valor do Salário Maternidade

Em casos corriqueiros, em que a trabalhadora trabalha para uma empresa com carteira assinada, o valor do salário maternidade será usualmente o valor do salário líquido da trabalhadora. Porém existem outros casos:
  • Trabalhadoras avulsas podem receber o valor da última remuneração de mês completo trabalhado;
  • Trabalhadoras rurais que contribuem com a previdência pelo carnê de aposentadoria – exceto no caso de contribuição facultativa – tem direito a receber 1 salário mínimo;
  • Trabalhadoras autônomas poderão receber o equivalente a 1/12 da soma dos últimos 12 meses trabalhados.

Por quanto tempo se recebe o Salário Maternidade?

O benefício é recebido durante 120 dias completos – ou seja, 4 meses de salário maternidade. Em casos de adoção, o tempo será de 120 dias, caso a criança tenha até 12 anos de idade.

Como compartilhar WIFI por QR-CODE?

QR-CODE é uma tecnologia fantástica no mundo dos smartphones, permite que você possa compartilhar links, documentos e as mais diversas informações apenas com a leitura de um pequeno código que pode ser fixado em qualquer parte.
O que a maioria dos internautas desconhece, no entanto, é que os dias de partilhar a senha do WIFI acabaram. Agora, com um pequeno QR-CODE você pode conectar qualquer equipamento a sua rede WIFI sem precisar digitar a senha ou conhecer o nome da rede.

Como compartilhar WIFI por QR-CODE?

Em primeiro lugar, você precisa criar o QR-CODE de sua rede WIFI. Acesse o site QR-CODE Generator Wifi, insira o nome da rede (SSID), a senha (Password) e o tipo de conexão (WEP ou WPA/ WPA2). Na sequência salve esta imagem em seu dispositivo ou imprima e compartilhe sua rede WIFI com quem quiser.
Agora, no dispositivo móvel você vai baixar o aplicativo QR-WIFI Plugin, ele irá permitir que você faça a leitura do código e conecte-se a rede facilmente, procure por esse aplicativo em sua Play Store.
Para conectar a rede WIFI, basta abrir o aplicativo no smartphone, ler o QR-CODE e pressionar o botão “Ligar-se a rede”, a conexão é efetuada em alguns instantes e você já pode desfrutar da conexão WIFI em seu dispositivo móvel.
Este recurso pode ser muito útil para estabelecimentos comerciais que oferecem a conectividade WIFI, ou até mesmo para você que recebe muitos amigos em sua casa e não consegue decorar a senha de seu WIFI de maneira alguma.
A melhor parte é que você pode imprimir este QR-CODE WIFI e fixá-lo em qualquer lugar de seu quarto, casa ou estabelecimento comercial. Uma verdadeira mão na roda, não concorda?

Lenovo anuncia novos laptops no Brasil; preço chega a R$ 12 mil

A Lenovo apresentou nesta quinta-feira, 10, novos laptops para o mercado brasileiro (que está declinando, como você pode conferir neste link). Os novos equipamentos abrangem múltiplos públicos, mirando o usuário comum, o que usa o notebook para jogos e o mercado corporativo. 
Yoga 900s

O modelo se destaca por ser muito fino e leve, utilizando um processador Intel Core m7, chip que dispensa a necessidade ventoinhas para a refrigeração, o que permite um design mais fino e portátil, com 12,8 milímetros de espessura e peso de apenas 1 kg com revestimento de fibra de carbono. Ao mesmo tempo, o chip perde um pouco em desempenho, já que estes designs sem ventoinhas precisam de mais cuidado para não superaquecerem. 
O Yoga 900s tem uma tela sensível ao toque de respeito, com um painel de 12,5 polegadas preenchido com uma resolução QHD (2560x1440). O aparelho também tem uma caneta opcional para poder rabiscar na tela como o usuário achar melhor. 
A Lenovo promete uma bateria capaz de aguentar 10,5 horas de reprodução de vídeo antes de ser necessária uma nova recarga, o que é uma boa autonomia de bateria, se a alegação da empresa se confirmar. 
A empresa ainda não definiu um preço para o Yoga 900s, que começará a ser vendido em algum momento do segundo trimestre. 
Y700

Este modelo é para quem quer o desempenho suficiente para jogos, mas quer um formato portátil que um desktop não permite. Isso tem um custo, no entanto: o modelo já está no varejo com preço sugerido de R$ 12,1 mil. Sim, mais de doze mil reais. 
Para justificar o preço, o Y700 traz um processador Intel Core i7 da sexta geração, que traz, além do desempenho e da economia de energia em comparação com a quinta geração, novos recursos como o Intel RealSense, que permite, com uma câmera 3D, acompanhar o movimento do jogador e interagir com o dispositivo, além de poder ter seu rosto escaneado para ser incluso no jogo, por exemplo. 
Fora o processador, o Y700 traz uma GPU Nvidia GeForce GTX 960M, 16 GB de memória RAM, 512 GB de armazenamento em SSD e tela Full HD (1920x1080) de 15,6 polegadas.
Linha X1

A linha é voltada ao uso corporativo, e traz o ThinkPad X1 Yoga, com 16 milímetros de espessura e peso de 1,27 kg, com quatro modos de uso, que permite até mesmo o destacamento do teclado para uso como tablet. O ThinkPad X1 Carbon é um laptop ainda mais fino, com tela de 14 polegadas e apenas 1,17 kg, com maior memória e armazenamento do que suas versões anteriores. 
Já o ThinkPad X1 Tablet é um tablet com módulos diferentes, que permitem aumentar a bateria, utilizar um projetor portátil e um módulo de imagem 3D com câmera Intel RealSense. 
Por fim, o ThinkCentre X1 é um computador tudo-em-um com tela de 23 8 polegadas e design contra acúmulo de poeira. Segundo a empresa, a máquina passou por uma prova de oito horas em uma câmera de poeira, simulando 10 anos de uso em um escritório.